Financiamentos – A diferença entre CDC e Leasing, parte 2

Dando continuidade à série de dois artigos que trata sobre os financiamentos automotivos, iniciada por este post: que se você não leu pode clicar aqui!

Car Key with Leasing Tag on White

Leasing

O leasing é o nome normalmente dado para uma modalidade chamada alienação fiduciária. Alienação fiduciária por sua vez, de forma simplificada, é um aluguel. Vamos entender.

Você adquire o veículo de sua preferência, porém quer financiar. Lhe é oferecido o leasing e você aceita. Neste momento, você transfere ao banco a propriedade do seu veículo e passa a utilizar do mesmo, sendo “proprietário sob condição suspensiva”. Significa, na prática, que no documento do carro aparecerá o nome do banco, que é o dono do veículo e seu nome aparecerá apenas no campo observações, como “veículo alienado em nome de (seu nome aqui)” ou outra inscrição semelhante que o Detran de seu estado firmar.

Quando a quitação do contrato acontece, você envia para o banco o CRV (Certificado de registro veicular) e outros documentos que variam, de banco para banco. O banco, por sua vez, preenche o CRV, na qualidade de vendedor, realiza a autenticação do documento, anexa a procuração do funcionário que realizou a assinatura em nome do banco e te devolve essa documentação. Neste momento você tem trinta dias corridos para realizar a transferência para seu nome, no mesmo processo que se faz quando se compra um carro.

Em poucas palavras, o carro está no nome do banco, pessoa jurídica, e deverá ser transferido para o seu nome ao final do contrato.

É de plena responsabilidade do devedor (você) manter o CRV, enviá-lo ao banco ao final do contrato e realizar a transferência, sob pena de multas e pontos na carteira caso o prazo seja transposto.

Um fato interessante é que, caso a quitação seja feita em menos de dois anos, não é permitida a transferência para seu nome (nome para quem veículo está alienado), condição esta imposta pelo Banco Central, devendo então ser indicado um terceiro para a compra do bem e transferência. Após os dois anos, a quitação antecipada pode acontecer sem ônus e você pode ter a transferência para seu nome normalmente.

É garantido o abatimento proporcional dos juros e taxas na quitação antecipada, assim como no CDC, lembrando novamente que quanto antes a quitação acontece, menos juros são pagos, quanto mais próximo do final, mais juros, devido à PRICE (que será explicada em artigo a ser publicado neste blog).

Caso você não deseje continuar com o bem, pode realizar a devolução amigável ao banco, bastando cumprir com as cláusulas contratuais que variam de contrato para contrato.

A grande confusão que acontece normalmente é justamente sobre a quitação antecipada, antes de dois anos corridos. A restrição de ter que transferir para um terceiro pega muitas pessoas de surpresa, mas esta característica é comum e protege a instituição financeira, que para modalidades de menor prazo, oferece outras linhas como o próprio CDC. Uma prática comum é colocar o bem em nome da esposa ou filho e, na quitação antecipada, transferir para próprio nome.

Entenda, por fim que o leasing é uma modalidade financeira muito boa, justamente por:

  • Permitir que o bem seja vendido e já transferido de nome, independente do tempo de contrato, bastando para isso a quitação do saldo devedor
  • Permitir que o bem continue com você, ao final do contrato, se assim desejar
  • Praticar taxas de juros normalmente baixas para prazos de 36 meses
  • Normalmente possuir contrato de simples entendimento e com cláusulas razoáveis em relação à devolução amigável do bem

Porém com a seguinte ressalva:

  • Exigir que ao final do contrato uma transferência seja feita, isto é, ir ao Detran, pagar as taxas, realizar vistoria, tirar decalques do chassis e do número do motor.

Eu recomendo o leasing para todos aqueles que tem acesso à taxas de juros baixas nesta modalidade de empréstimo.

Todos os processos descritos acima podem ser feitos sem o auxílio de despachantes, diretamente com o banco onde o financiamento foi realizado e no Detran, para a transferência. É um processo muito simples e rápido.

Espero que tenham tirado suas dúvidas, caso alguma ainda permaneça, não deixe de nos escrever!

Financiamentos – A diferença entre CDC e Leasing, Parte 1

Nesta série composta de dois artigos, sendo este o primeiro, explicaremos a diferença entre CDC e Leasing, em detalhes, de forma a dizimar quaisquer dúvidas que os amigos possam ter e evitar que façam mal negócio!

contrato-de-compra

CDC

CDC é a sigla de Crédito Direto ao Consumidor, é uma modalidade financeira onde o credor (a instituição financeira – banco – que faz o empréstimo) fornece o dinheiro para a compra do bem (carro), neste caso o carro ficando em nome do devedor (comprador, tomador do empréstimo, você). Para garantir o recebimento dos valores relativos ao carro o devedor deve dar uma garantia ao banco, no caso deixando o próprio veículo como garantia. O banco então marca o veículo em uma base de dados chamada Gravame, impedindo que o veículo seja comercializado antes da completa quitação do empréstimo. Garante também a recuperação do veículo caso o devedor esteja em atraso, conforme cláusulas de cada contrato em especial.

Entenda então que no CDC o veículo é seu porém alienado ao banco.

Quando a quitação do contrato acontece, ou por terminarem as parcelas, ou por quitação antecipada, o próprio banco realiza a retirada do Gravame, portanto desalienação do veículo e no próximo documento CRLV – Certificado de licenciamento não constará mais a alienação ao banco. O dono do carro, portanto, nada precisa fazer ao término do contrato.

Também são garantidos o direito ao abatimento proporcional dos juros devidos e demais taxas, lembrando que todo financiamento de parcelas fixas é feito utilizando a tabela PRICE portanto quanto mais cedo se quita o contrato, mais se abate os juros, quando mais próximo do final se quita, menos juros serão abatidos, como é natural e explicaremos em próximo artigo somente sobre a PRICE.

Um detalhe importante sobre o CDC é que caso o banco tome o bem do devedor, por direito contratual, levará este bem à leilão e geralmente os contratos preveem que quando o valor recuperado em leilão é menor que o valor devido, é de responsabilidade do devedor a quitação dessa diferença. Entenda portanto que o valor que você deve não se dizima simplesmente por entregar o carro, porém normalmente os bancos realizam negociação de dívida, de forma que sempre vale consultar seu gerente antes de tomar qualquer decisão drástica.

Fica o conselho final de nunca se colocar em uma dívida que comprometa o orçamento mensal em mais de 30%, restrição essa que as financeiras impõe porém já tivemos relatos de pessoas que conseguiram aprovação de porcentagem maior. Manter uma parcela pagável é segurança para você e sua família.

No próximo artigo, o tão temido Leasing!

Legalização de rebaixados

Prezados amigos,

Devido à muita dúvida que as últimas resoluções do Denatran causaram na vida dos entusiastas automotivos, elaboramos este texto. Esperamos esclarecer quaisquer dúvidas existentes em relação à legalização de modificação de suspensão.


rebaixado

A resolução n° 450 de 28 de agosto de 2013 suspendeu por completo qualquer alteração em suspensão de veículos automotores. Essa atitude foi vista como ruim por toda a comunidade automotiva, porém teve seus motivos – estavam revendo as regras para, por incrível que pareça, as melhorar.

Após estudos, foi lançada a resolução n° 479 de 20 de março de 2014, que dispõe sobre a legalização de modificação de suspensão nos veículos automotores em circulação no Brasil. Resolução esperada por muitos, nesta é permitida, expressa e claramente, a utilização de suspensão modificada em carros de passeio, inclusive a “de rosca” (regulável em altura) desde que atenda a alguns requisitos simples:

  • Sistema pode ser fixo ou regulável, ou seja, de rosca ou pneumático
  • Altura mínima de circulação, medida do chão ao ponto mais baixo da carroceria ou chassis, deve ser maior ou igual a 10cm, antes a medição era a partir do farol baixo.
  • O conjunto de rodas e pneus não pode tocar em nenhuma parte da carroceria do veículo, onde começa-se a fazer o teste de completo esterçamento, ou seja, não pode pegar em latas, plásticos ou ter o esterçamento limitado
  • Qualquer veículo com suspensão modificada deverá inserir no campo Observações a altura livre do veículo em relação ao solo, nos documentos CRV e CRLV, lembrando que CRV é o certificado de registro do veículo e CRLV o de licenciamento.

Esta resolução está ativa e vigente desde então e qualquer pessoa poderá pedir a legalização de sua suspensão, seja ela fixa (permitida anteriormente) como regulável. Os procedimentos de mudança deverão ser os mesmos de outras características do veículo, lembrando

  • Pedir a autorização de modificação no Detran
  • Realizar a modificação, juntando notas fiscais dos serviços e produtos
  • Realizar o laudo técnico em empresa de vistoria acreditada pelo INMETRO
  • De posse do laudo técnico e da autorização de modificação, dar entrada no processo de legalização, no Detran
  • Pagar as taxas, submeter-se à vistoria do órgão
  • Obter o documento com as observações nos campos, conforme indicado e ter tranquilidade em circular pelas ruas legalizado

Apesar de não ser necessário por lei, indicamos que os amigos andem com o laudo de segurança veicular em mãos, evitando problema com fiscais caso venham a ser abordados.


 

Aqui no blog iremos testar esses procedimentos em breve, nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, mediante legalização de suspensão de rosca em dois carros, um em cada estado. Aguarde para próximos posts, nos próximos meses, descrevendo como foi na prática o que na teoria é simples.

LoboNav – multimídia no painel do Brava (e Marea)

(texto e vídeo por Rodrigo Lobo)

Ola amigos do BravaClub!

Dando andamento aos ups do Brava Indy, quando eu mesmo já pensava que não teria mais nada pra inventar, surgiu a necessidade de um equipamento mais completo que um rádio.

Sendo assim adquiri uma central multimídia na forma de tela retrátil de 7″ e tinha quase tudo, mas o design no painel não me agradava, então a retirei. Em seguida coloquei um DVD de 3.5″ com muitas funções, mas usar o adaptador, mesmo que original FIAT, pra 1 din ainda não me agradava.

Pensei em retornar ao player original e conviver somente com radio e CD player mesmo, mas nos dias de hoje não combinava. Então foi quando decidi que teria de ter um algo mais, e algo que ainda não existisse, porém sem perder o principal, o acabamento sem poluir o painel do Brava, então assim foi criado o LoboNav.

Como diz o ditado popular, uma imagem  vale mais do que mil palavras, então preparamos um vídeo básico pra demonstrar o funcionamento do dispositivo!

Segue também uma pequena lista do que ele possui:

  • Radio FM
  • MP3 Player
  • Equalizador gráfico de várias faixas e opção de reforço de graves
  • Tela principal com: velocidade do veículo, controle de volume e acesso a todos os aplicativos
  • GPS completo em português e aviso de radares fixos (funciona simultaneamente com áudio do radio ou MP3 player), podendo deixar um desses aplicativos de áudio tocando enquanto navega nos mapas e rotas mixando o áudio dele com o GPS
  • Player de áudio via Bluetooth (toca MP3 de outros dispositivos dentro do veiculo, como outros celulares)
  • Notícias e clima
  • Wase
  • Player de videos
  • Netflix
  • YouTube
  • Calculadora
  • Bloco de notas
  • Entrada auxiliar frontal pra conexão com outros players (celulares, iPod, MP3 players)

Nota sobre o vídeo: como estava na garagem do meu prédio, estava sem sinal de rede no celular, por isso não foi possível demonstrar o clima, noticias e Netflix, mas em seguida prepararei outros videos mais completos, como demonstrando a velocidade com o carro em movimento.

Espero que tenham gostado, fiquem à vontade pra desenvolver novos dispositivos para nossos Bravas e caso o façam, nos avisem pelo e-mail contato.bravaclub@gmail.com, de forma que possamos publicar aqui!

instagram_kungum_destaque

Agora com Instagram por Kungum

Pessoal,

Temos uma admiração especial pelo trabalho fotográfico do nosso amigo Jeferson, conhecido por todos como Kungum.

Nada mais justo então que incluir no nosso espaço seu Instagram!

Por isso, desde já vocês sempre terão acesso ao conteúdo do Instagram por Kungum, aqui no blog, na lateral direita (usuários PC) e na porção final, antes dos vídeos (versão Mobile).

Obrigado Kungum!

Extintores de incêndio em 2015

No nosso país algumas coisas são estranhas, uma delas é a obrigatoriedade de carregar um extintor de incêndio em cada carro. Donos de carro não recebem treinamento de brigadas anti-incêndio mas tem sempre lá o extintor, disponível para colocar o motorista de um veículo em chamas em situação de risco, tentando controlar o fogo ao invés de se afastar para local seguro.

Já não bastasse isso, desde 2005 os carros novos saem com um extintor do tipo ABC, que não é passível de recarga e é válido por 5 anos.

Os extintores utilizados pelo nosso querido Brava são do tipo BC, que deixarão de ser aceitos ano que vem devendo ser substituídos pelo ABC. Portanto fiquem atentos, amigos do BravaClub! Este ano, ao comprar um extintor para repor o seu, já comprem o extintor do tipo ABC, visto que precisarão ter um em seus carros a partir de janeiro de 2015.

O motorista que anda sem extintor, com o equipamento vencido ou fora das especificações está sujeito a levar multa de R$127,69, cinco pontos na carteira de habilitação, podendo chegar até a ter o carro apreendido, por estar “fora de condições de segurança para rodar”. Atente também a remover o plástico protetor, aquele saco que embala o extintor. Já tivemos relatos de amigos que foram multados por este item “dificultar a utilização do extintor, em caso de emergência”.

Proteja seu dinheiro, evite ser multado, por mais estranha que a lei seja. Fica a dica!

Regularidade das publicações

Pessoal,

Conforme podem observar no post de hoje “Feliz dia das Mães“, o horário de publicação foi às 12:00. Isso não foi coincidência.

É portanto, com orgulho, que anunciamos que teremos uma postagem ao dia, regularmente, de segunda a segunda, sempre às 12:00, horário de Brasília.

Em casos específicos poderemos colocar postagens em horários diversos, porém sempre ao 12:00 o amigo do BravaClub poderá encontrar seu novo post, pronto para ler junto com a sobremesa ou o café após o almoço!

Lhes aguardamos amanhã, então, pontualmente às 12:00. Até lá!

Buque-de-rosas

Feliz dia das Mães

Hoje, dia 11 de maio de 2014, comemora-se o dia das Mães. Não poderíamos deixar esta data passar batida, portanto fica aqui o nosso registro de admiração e amor por aquelas que nos deram a vida e nos cuidaram, criando um mundo de possibilidades e aventuras que trilhamos até hoje.

Parabéns a todas as mães do mundo são os votos do BravaClub.